domingo, 22 de maio de 2011

V I D A S


Nós vivemos num mundo de espelhos,
Mas os espelhos roubam nossa imagem...
Quando eles se partirem numa infinidade de estilhas
Seremos apenas pó tapetando  a paisagem.
Homens virão,porém,de algum mundo selvagem
e, como estes brilhantes destroços de vidro,
nossas mulheres se adornarão,seus filhos
inventarão um jogo com o que sobrar dos ossos.

E não posso terminar a visão
Porque ainda não terminou o soneto
E o tempo é uma tela que precisa ser tecida

Mas quem foi que tomou agora o fio da minha vida?
Que outro lábio canta,com a minha voz perdida,
Nossa eterna primeira canção?
Mário Quintana.

3 comentários:

  1. Olá Denise, adorei a poesia do Mário Quintana, ótima escolha.

    Uma boa semana para você
    Beijos,
    Caio.

    =)

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise...
    Mário Quintana é excepcional em cada palavra.
    E parabéns pela sempre bela escolha.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ola Denise, adorei a poesia!
    Boa escolha!

    Bjos, boa semana!

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!