quinta-feira, 29 de junho de 2017

Fala pra ela que amor ela tem.

O vento sabe cantar. De vez em quando ele vem e assovia qualquer coisa melódica na minha janela como quem canta a canção da anunciação.
 O vento deveria saber falar também porque assim poderia me explicar as coisas sérias que as canções não podem tratar. Pois as canções tratam de coisas bonitas, podem até ser doídas, mas são bonitas; porque se pensar bem, a dor é bonita, porque a beleza aqui é sentimento e a dor é sentir de uma maneira tão profunda algo, e por isso eu a classifico como bonita.
 Mas apesar de ser bonita, nem sempre é séria. Geralmente as dores que as canções traduzem são sobre o coração, e nesse mundo maluco que vivemos as coisas do coração não são sérias, são no máximo bonitas ou doídas, mas nunca sérias.
Acho mesmo que o vento deveria aprender a falar ao invés de cantar, porque assim poderíamos conversar sobre coisas sérias, que as canções não podem tratar.
Se o vento pudesse falar eu gostaria de conversar com ele sobre a menina branca que amou aquele rapaz, mas ao final teve o coração partido. Todos sabemos que foi doído pra ela, mas ninguém a leva a sério, porque o amor não é tratado como algo sério aqui do lado de fora.
Eu pediria o vento para dizer a ela que eu sei o que ela está sentindo, que compreendo que o mundo dela se quebrou em pedacinhos tão minúsculos que é praticamente impossível de os localizar embaixo dos móveis do quarto.
Que junto com os pedacinhos um pedaço bem grande dela também se foi, e dói, como dói, é uma dor que corta de novo e todo dia parece aumentar.
Ela também precisava ouvir que não a julgo caso tenha se rendido a ele, em nome do amor tantas coisas fazemos, o vento poderia dizer pra ela que eu gostaria de estar com ela agora e acariciar os seus cabelos, que não queria a ver chorar assim por ele, porque por mais clichê que pareça, vai passar!
Ah vento, você deveria entender que o amor é coisa séria e não se cura assim de um dia para o outro, você podia ir até lá e avisar para a branca que eu entendo e não a julgo, que virão outros amores maiores e melhores, e que desse ela deve carregar somente o riso e os suspiros.
A ferida vai fechar, ela queima mesmo, de vez em quando ainda vai sangrar, mas vai fechar, o tempo vai fazer isso.

Ah vento, fala pra ela só dessa vez que ela não está sozinha e que eu levo a sério sua dor, porque já doeu assim em mim;  que o amor é risco, uma hora ela acerta, só pede pra não sofrer demais porque amor ela tem, se não dele, de tantos outros meios, amor ela tem. 

Um comentário:

  1. Muito lindo texto. Amei. Realmente as coisas do coracão deveriam ser mais levadas a serio. Talvez por isso temos uma sociedade tão doente.

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!