quarta-feira, 11 de maio de 2016

De Deus


 “Deus fará renovar-se o que se passou. Ec 3.15b”.

Minha pequena,

Hoje te vi sentada naquela calçada com a cabeça entre os joelhos chorando compulsivamente, um choro tão doído que me entristeceu também.
Eu me lembro claramente do dia em que te formei, sonhei com você, e te gerei em mim antes de trazê-la a esse mundo, cada detalhe de sua vida foi determinado por mim, cada sorriso seu sempre trouxe imensa alegria ao meu coração...
Você é a minha pequena, linda, perfeita aos meus olhos.
Contudo, houve um tempo em que você aprendeu a caminhar sozinha, e seus pequenos e despreparados pés te levaram para longe da minha presença. Começou a preferir seus amigos, faculdade, namorado e tantas distrações... O que você me pediu, eu te entreguei, e você se distraiu com as coisas passageiras, me deixou como segundo plano. Tudo isso me deixou muito triste, mas que fique bem claro que meu amor por você jamais diminuiu. 
Nunca deixei de acompanhar seus passos, cuidar de você; ainda que você me evitasse, me deixasse pra depois e só respondesse com monossílabas as minhas tentativas de mantermos um diálogo.
Aos poucos, ler minha palavra se tornou um enfado e falar comigo uma simples repetição de frases, sem nenhum prazer pra você. Como doeu tudo isso.
Minha querida, amada, eu não me canso de te dizer o quanto eu te amo. Olhe para o céu e tente entender a imensidão que há, esse é o meu amor. Se atente para as flores, sempre colocadas pelo seu caminho a fim de te lembrar que se eu me encarrego de cuidar delas, como não cuidaria de você?
Olhe os pássaros que voam, nunca me esqueci de nenhum deles, quanto mais de você me esqueceria! Mas a sua pressa em fazer tudo do seu jeito te conduziu pra esse choro que hoje parte também o meu coração.
Não era o meu sonho pra você esse bebê que está no seu ventre. Certamente meus sonhos eram diferentes, mas isso não me limita  a ponto de transformar o seu caos em benção. Eu conheço suas limitações e te ofereço o meu perdão,  cuidado e amor.
Venha, levante sua cabeça, olhe nos meus olhos e deixa que eu te conduza novamente. Seja a minha menina, eu sou o seu pai. Nada, nem ninguém pode diminuir o meu amor por você, acredite nisso e me entregue o seu coração, porque o meu é seu, desde sempre.
Coloque-se de pé, receba o meu perdão e  viva a minha promessa de renovo, eu estou com você, para sempre.
Com todo o amor que há em mim,

Papai.

Um comentário:

  1. Como sempre você foi brilhante na exposição da mais triste realidade que vivemos na igreja.

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!