quinta-feira, 3 de julho de 2014

Férias sem minha avó Joelia

🌻É mês de julho, mas não é férias.
Não há alegria e nem expectativas, porque eu não vejo sentido em ir para casa dessa vez, disse que ficaria aqui para estudar para os concursos da vida, mas a verdade é que eu não me sinto a vontade em casa sem a presença dela... Outra vez eu sonhei com ela, estávamos em um cômodo e ela tinha pressa de voltar para o lugar de que veio, mas foi muito gentil ao me contar que, sim, ela ouviu o meu 'eu te amo' aquela tarde no hospital e tinha vindo com tanta pressa só pra me dizer que também me amava e que estava comigo, e em um instante ela sumiu, e eu acordei. É, eu tentei inúmeras vezes voltar para aquele sonho, mas foi em vão. Foi só um sonho, ela não está aqui, não saberei se me ouviu ou não e ela não me disse nada daquilo.
Na verdade não são as provas, nem nada que tem tomado meu tempo, sou eu mesma, eu confesso, eu mesma tenho tentado entupir todas as horas disponíveis com obrigações porque não quero tempo para pensar, sentir falta..Porque tudo o que eu tenho em mim, é falta vó. Ausência de sorrisos e paz, de verdade e vontade dela. Sinto um vazio imenso da família aos domingos, da sua risada e mania de alegrar minha vida, das nossas brigas e de todo aquele barulho que acalmava minha alma .. porque era sincero, o que vale mesmo na vida, é o amor sincero ...

Confiar em ti, Paulo César Baruk.