segunda-feira, 2 de junho de 2014

lutas, provas, eu.

Nem são 22:00h e meus olhos já não se aguentam mais abertos.
Foram duros os dias passados ultimamente, minha avó morreu, meu cachorro também e com certeza uma parte de mim. Eu evitava de chorar na frente da minha família porque, queria que eles vissem a graça de Deus nisso tudo, que o câncer destruiu o corpo dela, mas não a sua alma, e isso é motivo de alegria e não choro. Mas aqui dentro de mim, nada jamais foi tão doído, tão divisor de águas, ela me deixou, partiu para os céus, e o que será de mim agora? Tão pequena, frágil e debilitada... Óh Deus ... Como eu sinto sua falta!! (...)
Essa é a semana de provas, eu odeio semana de provas com todas as minhas forças! Me sinto exausta em ter que estudar tanta matéria, sem ter assistido as aulas nas últimas duas semanas. Meu pescoço dói, meus olhos ardem e me sinto terrivelmente sensível e cansada. Cansada não apenas mentalmente e fisicamente, mas com a alma cansada, ansiosa por tempos de paz que estão demorando tanto a chegar...