segunda-feira, 25 de junho de 2012

fim de tarde

Corazón ☁ delator.
[As vezes,a morte é camarada,nos envia cartas avisando de sua chegada,para que arrumemos a casa,lavemos os rostos e ajeitemos as malas,então nós nos sentamos, choramos e começamos a esperá-la com tanto afinco que logo nos esquecemos da vida.]    
-
A ruptura do 'estar vivo' nada mais é,que uma entrega,um ciclo inevitável que nos guia independente da vontade envolvida,pois 'és pó e ao pó voltarás'.Somos essa Terra que nos chama,invoca! Somos esse espírito que  anseia em voltar ao Criador,e é exatamente esse fluxo/refluxo que nos trinca ao meio,nos deixando a conclusão de que a morte e a vida,a alegria e a tristeza,não são água e óleo,mas coexistem,todo dia,todos os tempos,dentro de mim,nós...hoje e sempre.

2 comentários:

  1. É a vida, sem vida não existe a espera da morte...rs

    Abçs

    ResponderExcluir
  2. Tudo mais fácil, menos tenso...quando vemos que nossa vida eh como um ciclo que logo logo chegará ao fim...porém eh confortante saber que no fim, encontraremos nosso amado, Criador!!!



    Bjuss florzinha!!
    Que Deus te abençoe sempre!

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!