terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

(O)pressão

"Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim
De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás."

[Poema - Cazuza]


4 comentários:

  1. Que poema tocante, porém triste!!!
    As vezes a nostalgia bate e invade toda a nossa mente..

    Bjusss, flor!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Denise querida!!

    É linda essa música... Adorei lê-la aqui no seu blog!

    Um beijo carinhoso e boas inspiraçõs sempre...

    ResponderExcluir
  3. Cazuza era um grande poeta!

    Beijos, Denise!

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!