domingo, 9 de outubro de 2011

coisas para uma caderneta...

Não Faz Sentido<3
Enquanto observava o comportamento de um grupo de meninos que estava do meu lado hoje de manhã,deparei-me com um menino que olhava para o nada,tão absorto naquela contemplação que me atraiu toda a atenção.
Vez ou outra bebericava o que segurava nas mãos sem nem sentir o gosto daquilo que lhe descia boca abaixo;tão lindo,tão distante,tão desejável por aquele instante...Então em homenagem aquele meu momento de intromissão onde não fui admitida por questões dimensionais,faço aqui menção ao pensamento que me vagava a mente enquanto observava o que já contei.(Meu objeto de observação nada tinha a ver com Geraldo Viramundo do livro O grande mentecapto de Fernando Sabino,mas inexplicavelmente foi um trecho desse livro,especialmente um trecho da juventude do Viramundo que me cegava a mente.)

self-portrait
‘Estava por assim dizer,
num instante de transição em que a existência parece pairar em suspenso entre dois vazios ou entre dois mistérios que se completam;
atingira aos dezoito anos aquele momento de não ter mais o passado como companheiro nem de reconhecer suas visões,que o escritor Mario de Andrade atingiu aos cinquenta.
Esse momento, que é exatamente daqueles capazes de decidir um destino, talvez tenha sido toda a sua vida dentro do seminário, talvez tenha sido o exato minuto em que decidiu abrir mão das distrações do pátio em favor da meditação na capela - coisa que nunca lhe ocorrera antes. ’

(Fernando Sabino in O grande mentecapto,Ed.Record,23ªed,pág.36.)

2 comentários:

  1. sempre me pego admirando o vazio.
    olhando para o horizonte é como contempla uma divindade

    ResponderExcluir
  2. Seu texto serviu de inspiração ao meu novo post, pois o seu me lembro de imediato o meu amor... Pode se considerar parte de mim, pois suas palavras me transportaram para dentro de mim mesma, outra vez.

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!