terça-feira, 24 de maio de 2011

Continuando :"Inconstitucional,porém agora legal"

Recebi esse vídeo por email;
e como alguns sabem,a uns dias atrás, eu escrevi algo sobre o mesmo assunto: a decisão do STF em regulamentar a união estável homossexual.
O vídeo,é uma pregação do pastor Daniel Sampaio que expressa muito bem,o que nós cristãos sentimos e pensamos a respeito do que aconteceu e está a acontecer em nosso país.
Deixo claro que não tenho nada contra os homossexuais,porém contra o fato de haver uma legalização do ato;desde que nossa carta magna - a Constituição Federal é bem clara a respeito do que deve ser considerado sobre o assunto.
Para quem ainda não leu, o texto "Inconstitucional porém agora legal" está no blog,e deixo a dica :assista ao vídeo,que realmente vale a pena saber o que está se passando em nossa legislação.

6 comentários:

  1. denise, de fato, foi inconstitucional; mas o STF tem poder para interpretar a constituição além da rigidez da lei. mas é uma questão a ser debatida.

    quanto aos homossexuais, amiga, se você não tem nada contra eles, por que não permitir que eles tenham os mesmos direitos que um casal "normal"?

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise,acho interessante sua opinião e eu como cristã vejo que isso é algo a ser discutido,pois o preconceito não é pecado também?
    Com isso,podemos perceber que o preconceito tem diminuído um pouco,mesmo que pouco,já é alguma coisa.
    E também por outro motivo...mesmo que eles não conquistassem esse direito de casar-se,eles continuariam fazendo o mesmo que fazem sem estar casados,portanto chego a conclusão que atos como esses não seriam mudados caso eles não conquistassem esse direito.
    E também Denise,mesmo cristã,e acreditando na bíblia,eu acredito também que o amor é mais importante do que sexo,porque quando a gente ama não é homem ou mulher,é pessoa.
    É isso,boa noite,beijos e até mais.

    ResponderExcluir
  3. Eduardo,acredito que o STF deveria ser constituído por pessoas que não tivessem como fundamento,interesses meramente políticos...
    e discordo que eles tenham porder para interpretar a constituição,desde que essa dispensa tal ato,pois é clara o bastante para "interpretações subjetivas".
    e quanto ao ato da legalização da união homessexual,sou contra pois bíblia condena e isso é o bastante para mim;e quanto a não ser contra o "homossexual em si mesmo",não o sou pois acredito que devo amar o pecador porém não compactuar com o seu pecado,eis minha resposta.

    ResponderExcluir
  4. Olá Denise...
    Já havia lido seu texto anterior,
    e reforço minha posição sobre o assunto.
    Não tenho preconceito contra homossexuais,
    são seres humanos como todos os demais, e por isso, devem sim ter os mesmos direitos.
    Assim como devem ter os mesmos deveres,
    e em meu humilde ponto de vista,
    não vejo a relação homoafetiva como uma
    prioridade a ser debatida e julgada pelo poder público. Assim como também, não daria prioridade a legalização da maconha, mesmo que todos nós já saibamos que tal legalização, daria dinheiro ao governo e não ao traficante.
    Enquanto está sendo debatida a causa homossexual, os políticos estão ganhando seu dia de trabalho, e não é pouco.
    E enquanto isso, a saúde, educação e segurança continua um caos.
    Sou a favor da decisão de rever conceitos e prioridades, onde não apenas uma parcela da sociedade seja beneficiada, por que sociedade não é um grupo de indivíduos, mas sim um todo...
    Parabéns por expor sua opinião e abordar essa questão, muito bem dirigida por você.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Amanda,
    o preconceito é pecado sim,
    porém,depende o que você entende como preconceito;e como isso é trazido a tona...
    e,mesmo que os homossexuais continuassem a se unir ( quanto a isso ninguém poderia intervir),o que questiono,é o fato de o Estado ter legalizado tal ato mesmo ferindo a nossa Lei maior,afinal,se o próprio Estado o faz,como fica o resto da sociedade? e o que o faz acolher tais medidas,que tipo de interesses? o voto?![...]
    e finalizando,quanto ao amor,ele é de suma importância,mas não é,ou não deveria ser a muleta para isso,
    repito as palavras do advogado Hugo Cysneiros :
    "Afeto e existência não pode ser requisito fático para existência de união estável (...) pluralidade tem limite."
    é isso.

    ResponderExcluir
  6. Caríssimo "Poetas Insanos",
    estou de pleno acordo com você,
    "é preciso rever conceitos e prioridades"
    e obrigada por me acompanhar ^^

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!