sábado, 2 de abril de 2011

F U M A Ç A



Nota da autora 1 : Estilo totalmente diferente de textos que costumo postar aqui no blog,espero que curtam.

Nota da autora 2: Eu sei que é grande,mas faça um esforço e leia até o final.



Faz pouco tempo que ela adormeceu.
Apoio o peso do corpo sobre o cotovelo direito e deixo meus pensamentos devanearem diante dessa onda de espasmo que sinto agora,só por tê-la tão perto do meu corpo,nua,desprotegia,tão frágil...minha.
Fecho meus olhos,mas ainda assim contemplo sua face tranqüila nas pálpebras descidas.
Ela não se importa com minhas tatuagens,parece gostar;sinto ainda seu toque em minha pele,percorrendo linha por linha com a ponta dos dedos,incendiando-me...ela sim,consegue me enlouquecer.Minha barba mal cuidada não parece a incomodar,o que me deixa muito feliz;a umidade de sua boca ainda não secou e levo a mão para senti-la mais uma vez.
Rita,estranha,mas incrível!
Seus pés estão descobertos;sem me dar conta do movimento já estou sentado na cama para cubrir-lhe; suas unhas estão cuidadosamente pintadas de branco ( o que não diz muito a seu respeito).Volto a posição inicial,observando com cautela seu sono leve.Ao gesto de cuidado ela sorri sutilmente ,noto que talvez não esteja adormecida realmente,que possa estar me observando.
Coloco a cabeça no travesseiro,encaro o teto com a esperança de a flagrar abrir os olhos ( o que não acontece).
Não tenho mais domínio sobre o sono,o celular pisca no criado mudo do lado onde ela dorme,não vou me levantar para olhar as horas,de que importa saber as horas quando  a eternidade se abre ante meus olhos agora?
Acaricio seus cabelos e confesso a mim mesmo que não posso viver sem ela,seu cheiro cítrico,me lembra a madeira molhada;seus olhos ainda com manchas negras da maquiagem rápida ( já desfeita);sua boca macia pregada no rosto jovem;pele unhada que abriga espinhas,resquício de seu pouco tempo de vida ou mesmo do seu desmazelo com o corpo...É tão linda...Como resposta ao meu conversar interior,um sorriso brota em sua face (daqueles que os dentes aparecem) e mesmo sem abrir os olhos ela se aninha em meu corpo,suas pernas se enroscam nas minhas,suas mãos quentes roçam meu peito que denuncia as batidas aceleradas do meu estúpido coração.
Sugo todo o ar que posso,me delicio com seu aroma (agora bem mais acentuado pela proximidade de seus cabelos do meu nariz).Jogo meus braços sobre seu corpo com cuidado,mas firmeza e, finalmente fecho os olhos,chamo pelo sono e digo a ele que me sinto completo para deixar mais um dia.

3 comentários:

  1. Olá Denise.

    Achei seu texto bastante legal e interessante.
    Gostei, parabéns !

    Tenha uma excelente semana.

    :)

    Beijos,
    Caio !

    ResponderExcluir
  2. denise, gostei do conto cheio de imagens sensuais e românticas. você escreve muito bem.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Denise!
    Tudo bem?
    Naquele dia eu só escrevi sobre a vida pois não tinha nada melhor...rsrs
    Mas é verdade,isso é mesmo uma maneira de dizer que me sinto a vontade com os meus leitores.
    Muito obrigado pelo comentário.
    Eu gostei bastante do seu texto,bem romântico.
    Uma boa semana pra você.
    Até mais,beijos.

    ResponderExcluir

Saber o que acha é um prazer,obrigada por sua opinião!